Rede social ajuda empresa a fazer negócios, diz pesquisa

05/02/2014 21:05

Pesquisa da Education First revela que, para 40% dos profissionais, a rede social contribui para um melhor relacionamento entre companhias, clientes e fornecedores

Size_80_luisa-meloLuísa Melo, de
©AFP / Ted Aljibe
A rede social aceitou trabalhar com a autoridade irlandesa para encontrar a maneira apropriada de usar a ferramenta

Facebook: apesar de 82% dos funcionários usarem redes sociais no trabalho, só 37% deles têm conhecimentos de inglês suficiente para se comunicarem globalmente através delas

São Paulo -  O uso frequente das redes sociais tem mudado não só a forma das empresas de se comunicarem (seja com seus clientes, fornecedores ou funcionários), como também processos estratégicos de mercado e construção de marcas. É o que aponta uma pesquisa da Education First, realizada junto a 1.023 profissionais da área de negócios em dez países, incluindo o Brasil. 

De acordo com o estudo, entre os respondentes, 44% mencionaram um aumento da consciência do público sobre os produtos e marcas da empresa onde trabalham devido às redes sociais. Outros 40% disseram que elas ajudam a estabelecer uma imagem de empresa moderna. 

O relacionamento com os clientes e fornecedores também foi citado por 40% dos entrevistados como um ponto que é favorecido pelas redes. Trinta e três por cento disseram ainda que a ferramenta digital têm um papel fundamental na promoção da marca e dos produtos de suas organizações. 

Outros 32% disseram que as redes ajudam a gerar prospecto de vendas e 27% afirmaram que elas reunem opiniões de clientes e ajudam a entender o que eles querem. Já para 16% deles, as redes sociais podem ser um bom recurso de treinamento. 

Em relação à importância das redes para a comunicação organizacional, 24% dos entrevistados disseram que ela é vital. Outros 35% a consideram bastante importante e 17% de alguma importância. Por outro lado, 24% acham que é pouco ou nada importante.

CLIQUE AQUI E TESTE SUA PLATAFORMA DE NEGOCIAÇÃO GRÁTIS.

Para o futuro

No geral, 83% dos entrevistados consideram que as redes sociais terão muita ou alguma importância dentro dos próximos três anos. Como consequência, a comunicação nos negócios sofrerá mudanças significativas devido a elas. 

O uso do e-mail, por exemplo, que ocorre em quantidade significativa em 77% das empresas atualmente, só deve ter a mesma relevância em 64% delas nos próximos anos. A quantidade de companhias que usam bastante o telefone também deve cair de 69% para 50% no mesmo período. A parcela de empresas que frequentemente realizam reuniões pessoas também deve diminuir de 65% para 47%. 

Em contrapartida, a fatia de organizações que fazem videoconferências em quantidade significativa, que hoje é de 48%, crescerá para 66%. A mesma coisa acontecerá com o uso das redes sociais no geral, que subirá de 40% das empresas para 60%. 

Falta conhecimento

Apesar de 82% dos funcionários usarem redes sociais no trabalho, só 37% deles têm conhecimentos de inglês suficiente para se comunicarem em uma escala global através delas. O número é preocupante se levado em conta que apenas 46% das empresas pesquisadas atualmente apoiam o desejo de aprender inglês em suas equipes.  

Ao grupo de pessoas conectadas, que usam bem a mídia digital e têm domínio de língua estrangeira, os pesquisadores denominam "Linguarati". Curiosamente, a maioria desses profissionais são encontrados em economias emergentes (52%). Outros 26% são da França e Espanha.

 

Últimas Notícias

Natura confirma negociação para compra da Avon via troca de ações

22/05/2019 17:13
Empresa ponderou que não há como garantir que vai concluir de fato a transação Avon: Natura confirmou a informações de que está negociando a compra da rival norte-americana (Brendan McDermid/Reuters) São Paulo – A Natura confirmou nesta quarta-feira informações da imprensa de que...

Bolsa sobe com negociação EUA-China e reforma da Previdência

09/01/2019 11:41
Às 10:04, o Ibovespa subia 0,13 por cento, a 92.148,68 pontos Por Reuters Bovespa: bolsa sobe (Paulo Whitaker/Reuters) São Paulo – A bolsa paulista começava a quarta-feira com o Ibovespa em alta, alinhada ao tom positivo no exterior, em meio a expectativas de que Estados...

J&F discute repactuar leniência e pode confessar insider trading

22/01/2018 18:51
J&F discute repactuar leniência e pode confessar insider trading Leniência do grupo, fechada no final de maio do ano passado, prevê o pagamento de uma multa recorde no valor de 10,3 bilhões de reais durante 25 anos. J&F: acordo de leniência ficou em xeque após os irmãos...

Caixa mais que dobra lucro no 3º tri, para R$ 2,17 bi, diz BC

30/11/2017 16:31
Caixa mais que dobra lucro no 3º tri, para R$ 2,17 bi, diz BC As despesas da Caixa com pessoal somaram R$ 5,59 bi entre julho e setembro, número praticamente em linha com o mesmo período do ano passado Por Aluisio Alves, da Reuters Caixa: a soma das receitas com tarifas e...

Excesso de liquidez pressiona grandes bancos brasileiros

30/11/2017 15:57
Os maiores bancos do Brasil têm tantos ativos de alta liquidez que estão tentando se livrar deles. Por Cristiane Lucchesi e Felipe Marques, da Bloomberg Pessoas passam por agência do Banco do Brasil, no Rio de Janeiro (Pilar Olivares/Reuters) Os maiores Bancos do...

Dívida de irmãos Batista dispara com negócio familiar

05/07/2017 18:26
Dívida de irmãos Batista dispara com negócio familiar Os irmãos que estão no epicentro do mais recente escândalo de corrupção do Brasil compraram as participações de suas três irmãs na J&F Investimentos Por Gerson Freitas Jr., Cristiane Lucchesi e Felipe Marques, da...

Gávea Investimentos negocia venda de fatia na Azul, dizem fontes

08/12/2016 10:57
Segundo fontes, a Gávea quer vender sua participação na Azul e os atuais acionistas devem comprar a fatia Por Fabiola Moura e Jessica Brice, da Bloomberg     Azul: participação da Gávea na empresa foi avaliada em R$ 212,5 milhões (Getty Images) A gestora de ativos brasileira Gávea...

Gol tem queda de 6,7% na oferta doméstica.

12/08/2016 10:57
  São Paulo - A Gol registrou queda de 6,7% na oferta doméstica em julho em comparação com o mesmo mês de 2015. A companhia justificou em comunicado que o dado "seguiu a tendência de adequação". Houve retração também no acumulado do ano até julho, de 6,4% comparativamente a...

Kroton aumenta oferta pela Estácio e se aproxima de fusão

02/07/2016 16:18
Ricardo Moraes/Reuters Estácio: se concretizado, o negócio com a Kroton é avaliado em R$ 5,5 bilhões Cátia Luz, do Estadão Conteúdo Fernanda Guimarães, do Estadão Conteúdo Gabriela Melo e Márcio Rodrigues, do Estadão Conteúdo São Paulo - Líder do ensino superior privado do...

Caixa precisará de injeção de até R$ 25 bi, dizem fontes

06/06/2016 23:40
Andrevruas/Wikimedia Commons Agência da Caixa: banco necessita de uma injeção de capital de até R$ 25 bilhões (US$ 7 bilhões), ou cerca de 2 por cento da arrecadação federal em 2015, segundo um analista Cristiane Lucchesi e Francisco Marcelino, da Bloomberg Em seu primeiro mês...
1 | 2 | 3 | 4 | 5 >>