Proposta de R$ 3,2 bi pelo Rede anima credores

04/06/2013 09:57

A Copel e a Energisa se uniram na sexta-feira (31) para fazer uma proposta para comprar a companhia

Wellington Bahnemann, do

Getty Images

Torres de energia elétrica

A expectativa da Copel e da Energisa é de que o juiz que coordena o processo permita que os credores avaliem a sua proposta para comprar as oito distribuidoras e a geradora do Grupo Rede

Rio de Janeiro - Caso sejam bem-sucedidas na tentativa de aquisição dos ativos de distribuição do Grupo Rede, a Copel e a Energisa estudam a criação de uma nova empresa que abrigaria essas concessões.

As duas empresas se uniram na sexta (31) para fazer uma proposta de R$ 3,2 bilhões para comprar o Rede. A ideia das companhias é apresentar a proposta na assembleia dos credores marcada para amanhã (5).

“Queremos formar uma entidade privada com agilidade para aproveitar as sinergias operacionais”, afirmou o diretor Financeiro e de Relações com Investidores da Energisa, Maurício Botelho, ao Broadcast, serviço em tempo real da Agência Estado.

A proposta conjunta chegou na última hora. Desde outubro, os credores só tinham na mesa a oferta da CPFL Energia e da Equatorial, que se comprometiam a aportar R$ 1,8 bilhão no negócio.

A expectativa da Copel e da Energisa é de que o juiz que coordena o processo permita que os credores avaliem a sua proposta para comprar as oito distribuidoras e a geradora do Grupo Rede.

O diretor de Engenharia da Copel, Jorge Andriguetto Junior, reconhece que a proposta precisa de refinamentos. “Estamos fazendo uma proposta dentro daquilo que nós conhecemos (do grupo)”, disse o executivo, em teleconferência sobre o assunto.

Pelos termos já conhecidos, R$ 1,8 bilhão se referem ao passivo com os credores das holdings do Grupo Rede, dos quais R$ 1,3 bilhão serão pagos de forma imediata e outros R$ 500 milhões, com garantia de fiança bancária, serão pagos no médio e longo prazos.

O valor restante de R$ 1,4 bilhão será usado para fazer frente às obrigações das oito distribuidoras.

Último minuto. O objetivo é usar a assembleia de amanhã (5) para ganhar tempo para conhecer melhor a situação financeira do Grupo Rede. “O que estamos trazendo é uma alternativa àquela proposta de exclusividade. Existe uma opção. Agora, se é boa ou não, é uma decisão dos credores e dos acionistas”, afirmou Andriguetto Junior.

É justamente o direito de apreciar a proposta que um grupo de credores que detém 11% das notas perpétuas emitidas pelo Grupo Rede pretende exercer. “O Steering Group saúda a abertura do processo de insolvência do Grupo Rede que a nova oferta sinaliza”, afirmaram os credores, em comunicado.

Para o grupo, a nova proposta é uma “alternativa muito mais valiosa e viável do que o plano que o Grupo Rede tinha proposto”. O plano referido é a proposta de recuperação judicial em março deste ano pelo grupo, elaborado conjuntamente com a CPFL Energia e a Equatorial.

As duas companhias assinaram um acordo de exclusividade com o controlador do grupo, o empresário Jorge Queiroz, para a compra de toda a empresa por R$ 1, além de um aporte de R$ 1,8 bilhão.

 

Últimas Notícias

Natura confirma negociação para compra da Avon via troca de ações

22/05/2019 17:13
Empresa ponderou que não há como garantir que vai concluir de fato a transação Avon: Natura confirmou a informações de que está negociando a compra da rival norte-americana (Brendan McDermid/Reuters) São Paulo – A Natura confirmou nesta quarta-feira informações da imprensa de que...

Bolsa sobe com negociação EUA-China e reforma da Previdência

09/01/2019 11:41
Às 10:04, o Ibovespa subia 0,13 por cento, a 92.148,68 pontos Por Reuters Bovespa: bolsa sobe (Paulo Whitaker/Reuters) São Paulo – A bolsa paulista começava a quarta-feira com o Ibovespa em alta, alinhada ao tom positivo no exterior, em meio a expectativas de que Estados...

J&F discute repactuar leniência e pode confessar insider trading

22/01/2018 18:51
J&F discute repactuar leniência e pode confessar insider trading Leniência do grupo, fechada no final de maio do ano passado, prevê o pagamento de uma multa recorde no valor de 10,3 bilhões de reais durante 25 anos. J&F: acordo de leniência ficou em xeque após os irmãos...

Caixa mais que dobra lucro no 3º tri, para R$ 2,17 bi, diz BC

30/11/2017 16:31
Caixa mais que dobra lucro no 3º tri, para R$ 2,17 bi, diz BC As despesas da Caixa com pessoal somaram R$ 5,59 bi entre julho e setembro, número praticamente em linha com o mesmo período do ano passado Por Aluisio Alves, da Reuters Caixa: a soma das receitas com tarifas e...

Excesso de liquidez pressiona grandes bancos brasileiros

30/11/2017 15:57
Os maiores bancos do Brasil têm tantos ativos de alta liquidez que estão tentando se livrar deles. Por Cristiane Lucchesi e Felipe Marques, da Bloomberg Pessoas passam por agência do Banco do Brasil, no Rio de Janeiro (Pilar Olivares/Reuters) Os maiores Bancos do...

Dívida de irmãos Batista dispara com negócio familiar

05/07/2017 18:26
Dívida de irmãos Batista dispara com negócio familiar Os irmãos que estão no epicentro do mais recente escândalo de corrupção do Brasil compraram as participações de suas três irmãs na J&F Investimentos Por Gerson Freitas Jr., Cristiane Lucchesi e Felipe Marques, da...

Gávea Investimentos negocia venda de fatia na Azul, dizem fontes

08/12/2016 10:57
Segundo fontes, a Gávea quer vender sua participação na Azul e os atuais acionistas devem comprar a fatia Por Fabiola Moura e Jessica Brice, da Bloomberg     Azul: participação da Gávea na empresa foi avaliada em R$ 212,5 milhões (Getty Images) A gestora de ativos brasileira Gávea...

Gol tem queda de 6,7% na oferta doméstica.

12/08/2016 10:57
  São Paulo - A Gol registrou queda de 6,7% na oferta doméstica em julho em comparação com o mesmo mês de 2015. A companhia justificou em comunicado que o dado "seguiu a tendência de adequação". Houve retração também no acumulado do ano até julho, de 6,4% comparativamente a...

Kroton aumenta oferta pela Estácio e se aproxima de fusão

02/07/2016 16:18
Ricardo Moraes/Reuters Estácio: se concretizado, o negócio com a Kroton é avaliado em R$ 5,5 bilhões Cátia Luz, do Estadão Conteúdo Fernanda Guimarães, do Estadão Conteúdo Gabriela Melo e Márcio Rodrigues, do Estadão Conteúdo São Paulo - Líder do ensino superior privado do...

Caixa precisará de injeção de até R$ 25 bi, dizem fontes

06/06/2016 23:40
Andrevruas/Wikimedia Commons Agência da Caixa: banco necessita de uma injeção de capital de até R$ 25 bilhões (US$ 7 bilhões), ou cerca de 2 por cento da arrecadação federal em 2015, segundo um analista Cristiane Lucchesi e Francisco Marcelino, da Bloomberg Em seu primeiro mês...
1 | 2 | 3 | 4 | 5 >>