OGX e credores estão perto de acordo para converter dívida

03/12/2013 20:58

Credores ficariam com 55% de participação na companhia, enquanto a de Eike Batista cairia de 51% para 5%

Sabrina Lorenzi e Guillermo Parra-Bernal, da

Divulgação

funcionário na plataforma da OGX

Funcionário na plataforma da OGX: acordo prevê reverter a dívida da empresa junto a detentores de títulos em uma participação acionária da ordem de 55%

Rio de Janeiro - A OGX, petroleira de Eike Batista, está prestes a fazer um acordo com os seus principais credores para converter parte da dívida de 5,1 bilhões de dólares da empresa em ações, afirmaram à Reuters duas fontes com conhecimento direto do tema.

O acordo, que ainda está em discussão e deverá ser anunciado até a próxima semana, prevê reverter a dívida da empresa junto a detentores de títulos em uma participação acionária da ordem de 55 por cento, disseram as duas fontes.

Eike Batista, que viu seu império desmoronar nos últimos meses, ficaria com aproximadamente 5 por cento do capital da OGX, disseram as fontes, sob condição de anonimato. Atualmente, o empresário é o controlador da empresa, com cerca de 51 por cento das ações.

Também está em estudo uma proposta de injeção de capital de até 150 milhões de dólares na companhia pelos detentores de títulos, disse a segunda fonte. O dinheiro serviria para manter operações e ajudar a aumentar a produção em alguns campos.

CLIQUE AQUI E TESTE SUA PLATAFORMA DE NEGOCIAÇÃO GRÁTIS.

A OGX disse, por meio da assessoria de imprensa, que não irá comentar o assunto, mas afirmou que negociações com credores estão em andamento.

O movimento junto aos credores é considerado crucial para a empresa conseguir colocar em prática seu plano de recuperação judicial. Depende dos credores a aprovação de um plano que é condição para a empresa não ser executada.

A tentativa de transformar dívida em participação acionária na OGX foi feita também há meses, antes de a empresa entrar com pedido de recuperação judicial, mas não teve sucesso.

O pedido de recuperação tornou-se a única alternativa para a companhia depois que fracassaram as negociações com detentores de 3,6 bilhões de dólares em bônus no exterior para uma reestruturação da dívida.

A endividada petroleira OGX entrou no dia 30 de outubro com o maior pedido de recuperação judicial da história corporativa da América Latina, em uma tentativa de evitar a falência.

Em 21 de novembro, a Justiça acatou parcialmente o pedido de recuperação judicial, em decisão que deixou de fora as subsidiárias da companhia no exterior e dá aval ao processo das empresas com sede no Brasil.

 

Últimas Notícias

Natura confirma negociação para compra da Avon via troca de ações

22/05/2019 17:13
Empresa ponderou que não há como garantir que vai concluir de fato a transação Avon: Natura confirmou a informações de que está negociando a compra da rival norte-americana (Brendan McDermid/Reuters) São Paulo – A Natura confirmou nesta quarta-feira informações da imprensa de que...

Bolsa sobe com negociação EUA-China e reforma da Previdência

09/01/2019 11:41
Às 10:04, o Ibovespa subia 0,13 por cento, a 92.148,68 pontos Por Reuters Bovespa: bolsa sobe (Paulo Whitaker/Reuters) São Paulo – A bolsa paulista começava a quarta-feira com o Ibovespa em alta, alinhada ao tom positivo no exterior, em meio a expectativas de que Estados...

J&F discute repactuar leniência e pode confessar insider trading

22/01/2018 18:51
J&F discute repactuar leniência e pode confessar insider trading Leniência do grupo, fechada no final de maio do ano passado, prevê o pagamento de uma multa recorde no valor de 10,3 bilhões de reais durante 25 anos. J&F: acordo de leniência ficou em xeque após os irmãos...

Caixa mais que dobra lucro no 3º tri, para R$ 2,17 bi, diz BC

30/11/2017 16:31
Caixa mais que dobra lucro no 3º tri, para R$ 2,17 bi, diz BC As despesas da Caixa com pessoal somaram R$ 5,59 bi entre julho e setembro, número praticamente em linha com o mesmo período do ano passado Por Aluisio Alves, da Reuters Caixa: a soma das receitas com tarifas e...

Excesso de liquidez pressiona grandes bancos brasileiros

30/11/2017 15:57
Os maiores bancos do Brasil têm tantos ativos de alta liquidez que estão tentando se livrar deles. Por Cristiane Lucchesi e Felipe Marques, da Bloomberg Pessoas passam por agência do Banco do Brasil, no Rio de Janeiro (Pilar Olivares/Reuters) Os maiores Bancos do...

Dívida de irmãos Batista dispara com negócio familiar

05/07/2017 18:26
Dívida de irmãos Batista dispara com negócio familiar Os irmãos que estão no epicentro do mais recente escândalo de corrupção do Brasil compraram as participações de suas três irmãs na J&F Investimentos Por Gerson Freitas Jr., Cristiane Lucchesi e Felipe Marques, da...

Gávea Investimentos negocia venda de fatia na Azul, dizem fontes

08/12/2016 10:57
Segundo fontes, a Gávea quer vender sua participação na Azul e os atuais acionistas devem comprar a fatia Por Fabiola Moura e Jessica Brice, da Bloomberg     Azul: participação da Gávea na empresa foi avaliada em R$ 212,5 milhões (Getty Images) A gestora de ativos brasileira Gávea...

Gol tem queda de 6,7% na oferta doméstica.

12/08/2016 10:57
  São Paulo - A Gol registrou queda de 6,7% na oferta doméstica em julho em comparação com o mesmo mês de 2015. A companhia justificou em comunicado que o dado "seguiu a tendência de adequação". Houve retração também no acumulado do ano até julho, de 6,4% comparativamente a...

Kroton aumenta oferta pela Estácio e se aproxima de fusão

02/07/2016 16:18
Ricardo Moraes/Reuters Estácio: se concretizado, o negócio com a Kroton é avaliado em R$ 5,5 bilhões Cátia Luz, do Estadão Conteúdo Fernanda Guimarães, do Estadão Conteúdo Gabriela Melo e Márcio Rodrigues, do Estadão Conteúdo São Paulo - Líder do ensino superior privado do...

Caixa precisará de injeção de até R$ 25 bi, dizem fontes

06/06/2016 23:40
Andrevruas/Wikimedia Commons Agência da Caixa: banco necessita de uma injeção de capital de até R$ 25 bilhões (US$ 7 bilhões), ou cerca de 2 por cento da arrecadação federal em 2015, segundo um analista Cristiane Lucchesi e Francisco Marcelino, da Bloomberg Em seu primeiro mês...
1 | 2 | 3 | 4 | 5 >>