Compra de refinaria foi normal, diz José Sergio Gabrielli

06/08/2013 11:34

Ex-presidente da Petrobrás afirmou que não existe razão para questionamentos sobre a compra, em 2006, de uma refinaria em Pasadena, no Texas

Carolina Gonçalves, da

inShare
O ex-presidente da Petrobras, José Sergio Gabrielli

O ex-presidente da Petrobras, José Sergio Gabrielli: a partir de 2008, divergências marcaram o início da ruptura da sociedade em que a Petrobras havia investido US$ 360 milhões para ter direito sobre metade da Pasadena Refining System Inc

Brasília – O ex-presidente da Petrobras José Sergio Gabrielli disse hoje (6) que não existe qualquer razão para questionamentos ou dúvidas sobre a compra, em 2006, de uma refinaria em Pasadena, no estado do Texas, nos Estados Unidos. Em audiência pública na Comissão de Meio Ambiente, Defesa do Consumidor e Fiscalização e Controle (CMA) no Senado, Gabrielli garantiu que a refinaria foi comprada com preços alinhados à situação do mercado na época.

“A aquisição da refinaria foi um negócio normal, com preços em linha com o mercado”, disse. Gabrielli lembrou que a crise financeira que afetou várias economias do mundo alterou o cenário de consumo e investimentos dos Estados Unidos, enquanto o Brasil mantinha um ritmo de aquecimento da economia. O ex presidente da estatal brasileira lembrou ainda que o contrato firmado com a empresa belga Astra Oil – sócia da Petrobras no negócio firmado em 2006 – previa o fim da sociedade a qualquer tempo.

A partir de 2008, divergências marcaram o início da ruptura da sociedade em que a Petrobras havia investido US$ 360 milhões para ter direito sobre metade da Pasadena Refining System Inc. A aquisição completa da refinaria ocorreu sob vários processos judiciais iniciados no Brasil e nos Estados Unidos.

De acordo com denúncias feitas pela revista Veja, pela compra da outra parte da refinaria, a Petrobras pagou um total de US$ 1,8 bilhão. A reportagem destaca que o valor seria equivalente a dez vezes a oferta recebida pela estatal pela refinaria em dezembro do ano passado.

De acordo com Gabrielli o negócio foi concluído em 2012, com preço total de US$ 486 milhões, o que, de acordo com as contas da estatal, equivaleria a pouco mais de US$ 4,5 mil por barril. “Desafio qualquer técnico a dizer que isso não está em linha com o mercado na época. E o ativo [refinaria] permanece na mão da Petrobras e é uma refinaria bem localizada. Com reversão do ciclo, temos a oportunidade de aumentar o retorno desse ativo. Não vejo nenhuma razão para o questionamento, a não ser a desinformação”, completou.

Há quase dois meses, a atual presidenta da Petrobras, Graça Foster, disse, na Câmara dos Deputados, que a aquisição da Refinaria de Pasadena seguiu orientações positivas do mercado em 2006, e que as perdas produzidas com o negócio foram provocadas, principalmente, pela crise financeira mundial. Ela admitiu que no atual cenário, a empresa não repetiria a operação.

Os parlamentares devem continuar ouvindo autoridades da estatal sobre o assunto. O requerimento para que Gabrielli prestasse esclarecimentos hoje foi apresentado pelo senador Ivo Cassol (PP-RO). Antes que o ex-presidente da Petrobras iniciasse as explicações, o senador Blairo Maggi (PR-MT) adiantou que se o depoimento não satisfizer a comissão, o colegiado vai solicitar novas informações sobre o caso a outras autoridades e técnicos.

 

Últimas Notícias

Natura confirma negociação para compra da Avon via troca de ações

22/05/2019 17:13
Empresa ponderou que não há como garantir que vai concluir de fato a transação Avon: Natura confirmou a informações de que está negociando a compra da rival norte-americana (Brendan McDermid/Reuters) São Paulo – A Natura confirmou nesta quarta-feira informações da imprensa de que...

Bolsa sobe com negociação EUA-China e reforma da Previdência

09/01/2019 11:41
Às 10:04, o Ibovespa subia 0,13 por cento, a 92.148,68 pontos Por Reuters Bovespa: bolsa sobe (Paulo Whitaker/Reuters) São Paulo – A bolsa paulista começava a quarta-feira com o Ibovespa em alta, alinhada ao tom positivo no exterior, em meio a expectativas de que Estados...

J&F discute repactuar leniência e pode confessar insider trading

22/01/2018 18:51
J&F discute repactuar leniência e pode confessar insider trading Leniência do grupo, fechada no final de maio do ano passado, prevê o pagamento de uma multa recorde no valor de 10,3 bilhões de reais durante 25 anos. J&F: acordo de leniência ficou em xeque após os irmãos...

Caixa mais que dobra lucro no 3º tri, para R$ 2,17 bi, diz BC

30/11/2017 16:31
Caixa mais que dobra lucro no 3º tri, para R$ 2,17 bi, diz BC As despesas da Caixa com pessoal somaram R$ 5,59 bi entre julho e setembro, número praticamente em linha com o mesmo período do ano passado Por Aluisio Alves, da Reuters Caixa: a soma das receitas com tarifas e...

Excesso de liquidez pressiona grandes bancos brasileiros

30/11/2017 15:57
Os maiores bancos do Brasil têm tantos ativos de alta liquidez que estão tentando se livrar deles. Por Cristiane Lucchesi e Felipe Marques, da Bloomberg Pessoas passam por agência do Banco do Brasil, no Rio de Janeiro (Pilar Olivares/Reuters) Os maiores Bancos do...

Dívida de irmãos Batista dispara com negócio familiar

05/07/2017 18:26
Dívida de irmãos Batista dispara com negócio familiar Os irmãos que estão no epicentro do mais recente escândalo de corrupção do Brasil compraram as participações de suas três irmãs na J&F Investimentos Por Gerson Freitas Jr., Cristiane Lucchesi e Felipe Marques, da...

Gávea Investimentos negocia venda de fatia na Azul, dizem fontes

08/12/2016 10:57
Segundo fontes, a Gávea quer vender sua participação na Azul e os atuais acionistas devem comprar a fatia Por Fabiola Moura e Jessica Brice, da Bloomberg     Azul: participação da Gávea na empresa foi avaliada em R$ 212,5 milhões (Getty Images) A gestora de ativos brasileira Gávea...

Gol tem queda de 6,7% na oferta doméstica.

12/08/2016 10:57
  São Paulo - A Gol registrou queda de 6,7% na oferta doméstica em julho em comparação com o mesmo mês de 2015. A companhia justificou em comunicado que o dado "seguiu a tendência de adequação". Houve retração também no acumulado do ano até julho, de 6,4% comparativamente a...

Kroton aumenta oferta pela Estácio e se aproxima de fusão

02/07/2016 16:18
Ricardo Moraes/Reuters Estácio: se concretizado, o negócio com a Kroton é avaliado em R$ 5,5 bilhões Cátia Luz, do Estadão Conteúdo Fernanda Guimarães, do Estadão Conteúdo Gabriela Melo e Márcio Rodrigues, do Estadão Conteúdo São Paulo - Líder do ensino superior privado do...

Caixa precisará de injeção de até R$ 25 bi, dizem fontes

06/06/2016 23:40
Andrevruas/Wikimedia Commons Agência da Caixa: banco necessita de uma injeção de capital de até R$ 25 bilhões (US$ 7 bilhões), ou cerca de 2 por cento da arrecadação federal em 2015, segundo um analista Cristiane Lucchesi e Francisco Marcelino, da Bloomberg Em seu primeiro mês...
1 | 2 | 3 | 4 | 5 >>